Blog

Mordomia
11:5016/11/17
Adicionado por Mordomia

Xixi e cocó no sítio certo

A marcação indesejada (xixi e cocó fora do sítio) é uma das preocupações mais frequentes dos donos e ensinar o cachorro a fazê-lo no lugar certo torna-se uma prioridade desde cedo. Existem vários motivos para que o cachorro não faça as necessidades no local adequado. Vamos deixar alguns esclarecimentos e dicas que certamente o ajudarão a ensinar o seu “pequenote”. Antes de mais devemos entender que a aprendizagem de um cão é baseada em associações, feitas por meio de tentativas, erros e acertos. Um comportamento que gera um resultado positivo e prazeroso para o cachorro fica gravado de forma intensa na memória e tende a ser repetido até se tornar um hábito. Por exemplo, se ele receber uma recompensa sempre que fizer xixi no sítio certo, vai aos poucos tentar acertar cada vez mais com o intuito de receber essa recompensa. É por isso que o treino positivo, baseado na recompensa (biscoito, "muito bem", brinquedo ou carinho) é muito mais produtivo do que o treino com reforço negativo ou punitivo. É importante frisar que a associação só acontece como desejado se a causa e o efeito distarem entre si no máximo poucos segundos. Ou seja, só adianta recompensar ou reclamar com o cão durante ou logo imediatamente após o acto. Isto é, não adianta nada o dono punir o cachorro quando chega a casa e encontra um xixi no lugar errado pois o cachorro vai associar essa punição com a chegada do dono e não com o xixi no tapete. O tutor muitas vezes pensa: "O meu cachorro sabe quando agiu errado, pois ele faz cara de culpa" ou então: "O meu cachorro faz isso de propósito, para se vingar de mim". Nenhuma dessas afirmações é verdadeira. Em primeiro lugar porque os cães não têm noção do certo e do errado, eles fazem o que fazem com base nos seus instintos. E em segundo lugar porque as emoções dos cães são muito mais básicas do que as nossas. Sendo assim, é correcto afirmar que os cães sentem medo, dor (física ou emocional), lealdade e respeito, por exemplo. Mas não é certo dizer que eles demonstram sentimentos complexos (e na maioria das vezes negativos), como ciúme, culpa e vingança, tão típicos dos humanos. O que é interpretado como culpa, na verdade é submissão, o cão simplesmente reage àquela postura do dono. O cachorro percebe quando o dono está com raiva e sabe que isso significa um grande raspanete, então tenta acalmar a ira do dono com uma postura submissa. Os cães são incrivelmente inteligentes (é complicado comparar inteligências entre espécies diferentes). Eles aprendem a "ler" os humanos muito melhor do que nós mesmos sabemos, porque eles são bastante observadores. Diversos pequenos sinais que fazemos automaticamente, como franzir a testa e cerrar os punhos quando estamos com raiva, são um letreiro para os cães. Eles aprendem em pouco tempo a associar os nossos gestos, posturas corporais e expressões faciais com as atitudes que tomamos em seguida e simplesmente reagem de acordo com esse comportamento. De forma similar, a tão falada vingança está muitas vezes associada a stress ou a dominância. As pessoas tendem a interpretar as reações dos cães com base nos comportamentos dos humanos e isso origina uma abordagem completamente equivocada para o problema, causando frustração e desgaste no relacionamento entre o dono e o animal. O xixi fora do sítio pode indicar que o cachorro tem ansiedade por separação ou até que ele se acha o dono do pedaço. Sendo assim, vamos subdividir o assunto "xixi e cocó" em etapas e trabalhar cada uma delas individualmente.

Mordomia
16:5913/10/17
Adicionado por Mordomia

ALIMENTAÇÃO DOS CACHORROS

A dieta do seu cachorrinho deve ser à base de ração seca de alta qualidade. Esta deve ser seleccionada tendo em consideração a idade (meses), a raça e o porte que o seu cachorrinho terá na idade adulta (pequeno, médio, grande ou gigante).

Quando levamos um cachorro para casa, por vezes, temos de efectuar uma mudança na ração à qual ele estava habituado. Se tal ocorrer, a transição deverá ser feita de forma gradual, porque os cachorros são muito sensíveis a alterações da dieta e podem desenvolver distúrbios gastrointestinais com facilidade (fezes moles a diarreicas e eventualmente vómitos).

Quando mudar de ração deve proceder da seguinte forma: misturar a ração que pretende subtituir (antiga) com a ração que pretende introduzir (nova), durante uma média de sete dias. Nos primeiros dias mistura maior quantidade da ração antiga e menor da nova, progressivamente vai aumentar a quantidade de ração nova até deixar de administrar a ração antiga.

Não deve mudar com frequência o tipo ou a marca de ração, pelas mesmas razões referidas anteriormente, excepto quando o seu cachorro mostra sinais de que está a “enjoar” e apesar de ter apetite deixa de comer uma ração que anteriormente comia bem, ou por recomendação do seu Médico Veterinário. Se o seu cachorro come bem a ração não precisa de dar-lhe leite, pelo contrário, a sua administração quando eles já foram desmamados e comem só ração há algum tempo pode provocar distúrbios gastrointestinais. É um “mimo” que não precisa de fazer.

A quantidade de ração recomendada no saco deve ser dividida em três tomas diárias até pelo menos aos seis meses de idade. A quantidade recomendada pode-lhe parecer “pouca”, mas cada grão está formulado para fornecer a quantidade de proteína, hidratos de carbono, gordura, fibra, minerais e vitaminas que o seu cachorro necessita para crescer de uma forma saudável, portanto, não é necessário administrar mais quantidade do que a recomendada. Após 30 minutos se o seu cachorro não terminou a refeição esta deve ser retirada e só deve ser introduzida na refeição seguinte. Quando o seu cachorro atingir a idade limite recomendada pela ração de desmame que lhe está a administrar, deve mudar para a indicada para seguinte etapa de crescimento (júnior),de preferência da mesma marca. Mais uma vez efectue uma transição gradual. Nunca ceda à tentação de lhe dar comida da nossa, o cachorro não necessita de nada mais além da ração e a nossa comida pode fazer-lhe mal. O seu cachorro deve ter sempre água fresca e limpa à disposição.

Mordomia
11:0431/08/17
Adicionado por Mordomia

Tenho um cão. E agora?

Calma, não é um pesadelo...

Tomada a decisão de ter um cãozinho, quais a preocupações e atitudes iniciais a ter?

Em primeiro lugar a saúde física do seu amigo: O cachorro deve viver num local limpo. Devemos preparar para o cachorro três espaços diferentes. O espaço para a sua alimentação, o espaço de descanso e o espaço para o seu WC. É importante que o cachorro tenha estes locais bem definidos para facilitar o treino. Não devemos misturar a área de alimentação com a cama ou com os resguardados/fraldas de WC. Esta organização será importante para o ensinar a fazer as necessidades onde desejamos, nenhum cachorro vai querer fazer as necessidades próximo da comida ou da cama.

Água fresca e limpa.

Proporcionar ao seu cachorro água fresca e limpa é um passo para fazer com que ele seja saudável.

A água deve ser trocada todos os dias e o bebedouro deve ser lavado. Por vezes deixamos a água vários dias o que leva à acumulação de sujidades e gordura.

Alimentação:

Para um crescimento saudável os cachorros devem ser alimentados várias vezes por dia, uma vez que têm o estômago pequeno mas têm necessidades energéticas elevadas. Se o dono conseguir, o ideal seria 4 vezes por dia até aos 3 meses, 3 vezes até aos 8 meses e em adulto 2 vezes por dia.

Quando o cão se alimenta uma vez por dia, sobretudo em raças grandes, come com muita sofreguidão, o que leva à ingestão de muito ar de comida mal mastigada, o que pode causar dilatação ou torção do estômago, o que pode ser fatal se não for detectada precocemente.

Evite também correr ou brincar com o cão 1 hora depois da refeição.

Na fase de crescimento o cachorro deve ter disponível uma ração de boa qualidade, apropriada à idade e à raça. Deve desde logo ser habituado a comer unicamente ração, uma vez que é o mais completo, com quantidades de proteína e gordura recomendadas para um crescimento harmonioso.

Devemos também respeitar as doses indicadas na embalagem da ração para que o cachorro evolua com uma boa composição corporal. Atenção que a dose diária varia de marca para marca. O excesso de peso poderá deformar articulações e ossos.

Caso pretenda alterar a ração, tenha atenção que a mesma deve ser feita de forma progressiva, para evitar diarreias, faça-o antes de terminar a ração anterior e misture as duas rações (por ex: 3/4 ração antiga + 1/4 ração nova no 1º dia, 2/3 ração antiga + 1/3 de ração nova no 2º dia, ½ ração antiga + ½ de ração nova no 3º dia e assim sucessivamente até descontinuar a antiga).

Ao optar por uma boa ração, formulada para ser concentrada e altamente digerível, notará as fezes pequenas, bem moldadas e sem muito cheiro, dado que praticamente todos os nutrientes são absorvidos.

Uma alimentação deficiente leva a que o cão fique com o pêlo baço e com queda acentuada e pode levar ao aparecimento de caspa. Leva a um desequilíbrio na proporção músculo/gordura, apresentando pouca massa muscular e excesso de gordura. Podem também apresentar dificuldades digestivas (flatulência, diarreia, fezes moles, abundantes e com mau cheiro) e parecem estar sempre esfomeados.

ATENÇÃO: Chocolate, cebola ou uvas, são tóxicos para os cães, portanto não dê ao seu cachorro e se verificar que ele os ingeriu entre imediatamente em contacto com o seu Médico Veterinário.

Higiene

Se achar que o seu cão necessita tomar banho deve fazê-lo nos 15 dias após o término da primovacinação, se entretanto ficar sujo, pode limpá-lo com toalhetes ou champô seco. Dê banho ao seu cachorro no máximo 1 vez por mês. O seu cachorro necessita manter alguma oleosidade na pele para que esta se mantenha saudável. Banhos demasiado frequentes podem levar a problemas na pele e no pêlo. Use um champô suave e hidratante, próprio para cão, devido ao pH da pele do cão. No caso do gato, aplica-se o mesmo critério de escolha sendo que é possível encontrar no mercado champôs adaptados a ambas as espécies.

Tenha atenção ao ouvidos do seu cachorro, devem ser limpos pelo menos 2 vezes por semana, existem produtos apropriados para essa limpeza. Cães de orelhas caídas ou de pêlo comprido necessitam por vezes de uma depilação manual dos pêlos que crescem dentro dos ouvidos, proporcionando o correcto arejamento, evitando assim o aparecimento de otites.

Higiene Dentária:

Deve desde cedo habituar o seu cachorro à escovagem dos dentes. Recomenda-se uma escovagem 3 vezes por semana de forma a prevenir a formação de tártaro e placa bacteriana. Podem também complementar este processo com brinquedos de borracha, ossos de couro prensados, ossos com flúor ou elixir.

Escovagem:

Disponibilize algum tempo uma a duas vezes por semana para a escovagem do seu cachorro, além do tempo que passam os dois permitirá manter o seu amigo limpo e livre de cheiros. A escovagem vai permitir a oxigenação da pele e promover a renovação do pêlo garantindo assim uma pelagem mais saudável e brilhante. Para uma escovagem correta do seu cachorro peça aconselhamento sobre o tipo de material a utilizar, este difere mediante o tipo de pêlo.

O seu cachorro deverá ter sempre à disposição brinquedos e objectos adequados para ele roer e passar o tempo, um cachorro entediado vai procurar alguma coisa para brincar.

Preste atenção à saúde mental do seu amigo:

Passear o seu cão é importante para desgastar energia e fortalecer os laços entre o cão e o dono e permite reforçar a hierarquia. É importante que ele passeie para ver outras pessoas, carros, outros cães, ambientar-se a novos ruídos, no fundo permitir a socialização do seu cão. Aproveite o seu tempo livre, final do dia e fins de semana para passear e brincar com o seu cão. É importante ter o seu amigo perto da família, a interação entre todos é a melhor forma de ele aprender.

Socialização:

A idade recomendada para o cachorro deixar a mãe e irmãos e conhecer os seus novos donos é a partir dos 2 meses. É também a idade ideal para começar a socializar convenientemente com aquilo que o rodeia, mas ainda não está totalmente imunizado para poder andar na rua. Os donos devem então providenciar essas oportunidades de forma segura, por exemplo, levando o cachorro a casa de amigos que tenham cães saudáveis e vacinados, de várias raças e de várias idades, e claro, que não sejam agressivos para não traumatizar o cachorro. Devem deixá-lo explorar novas texturas, sons, objectos, ambientes (praia, parques públicos, esplanadas, feiras, campo, etc.), mesmo que tenham que o levar ao colo.

A introdução a vários tipos de pessoas e a outros animais, como gatos e pássaros, é importante nesta idade para que aprenda a ser confiante e amigável com todos. Se o seu cachorro se mostrar inseguro, proceda com naturalidade e ignore, não o agarre ou o console, isso só irá reforçar esse comportamento. Se você der o exemplo, após algumas hesitações, ele imitá-lo-á.

Algumas escolas para cães têm classes de socialização de cachorros. São óptimas oportunidades para conhecer novos amigos e aprender obediência desde cedo.

Não subestime a importância de uma socialização bem feita, pois todas as más experiências ou a ausência de experiências, entre os 2 e os 6 meses, será catastrófico para o equilíbrio emocional do seu cão em adulto.

Pooch & Mutt - Health Food for Dogs

Alimentação e snacks NATURAIS & FUNCIONAIS (específicos para cada condição física e de saúde), sem cereais e conservantes químicos, elaborados a partir da combinação ativa de ingredientes naturais e biológicos. Toda a alimentação Pooch & Mutt é "naturalmente direcionada" - é cheia de ingredientes activos e naturais, adaptada às condições específicas da vida do seu cão e tem por objectivo melhorar a qualidade de vida e longevidade dele. A gama é composta por alimentação grain free e snacks: Move Easy: ajuda nos problemas de mobilidade e cães muito activos; Slim & Slender: ajuda na perda e manutenção do peso ideal; Fresh Breath: ajuda a melhorar a higiene oral; Health & Digestion: ajuda na sensibilidade ou dificuldade digestiva; Calm & Relaxed: ajuda a controlar a ansiedade ou nervosismo.

Abrir site

Xixi e cocó no sítio certo - Mordomia

As pessoas tendem a interpretar as reações dos cães com base nos comportamentos dos humanos e isso origina uma abordagem completamente equivocada para o problema, causando frustração e desgaste no relacionamento entre o dono e o animal.

Abrir site